Saiba como estudar uma das matérias mais cobradas em concursos

Confira dicas da professora Izabela Dornelas, especialista em preparação para concursos, para facilitar o estudo da Constituição Federal

Se você for prestar concurso para qualquer cargo da Polícia Civil de São Paulo, ela estará lá. Caso a carreira dos seus sonhos seja na Polícia Militar-SP, ela também estará lá, na prova de soldado e em todas as provas para promoção na carreira. Se você estuda para provas de técnico ou analista de tribunais, ela também aparece. Nas carreiras federais então, nem se fale.

Ela, a Constituição Federal de 88, que às vezes aparece como “Constituição Cidadã”, “Carta Magna” ou “Lei Maior”, tem se tornado a melhor amiga dos aprovados.

Já foi o tempo em que o diferencial para a aprovação era apenas uma boa prova de português e matemática ou raciocínio lógico. Dos concursos municipais aos federais, a Constituição Federal de 88 é cobrada, não tem como fugir, e o melhor a se fazer é encará-la de uma vez. Mas como estudar a Constituição sem morrer de tédio? Se só o artigo 5° tem mais de 70 incisos?

Justamente por ser muito cobrada em vários concursos, há uma infinidade de questões disponíveis na internet, livros, aplicativos. Faça uma lista com várias questões dos temas constitucionais exigidos no concurso dos seus sonhos, e resolva essas questões COLANDO a resposta da Constituição. Dessa forma, além de estar buscando a resposta, sem se dar conta você estará lendo a Constituição, e até lendo por mais de uma vez o mesmo dispositivo legal. Essa forma é bem menos cansativa do que a leitura “corrida” da lei.

Outra sugestão é ir lendo e elaborando possíveis questões de cada dispositivo da lei. Por um instante você se transformará no examinador. Olhe para aquela parte da lei e pense “qual palavra eu posso trocar aqui para confundir o candidato?” Por exemplo, o artigo 5° IV da Constituição Federal diz o seguinte: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”. Você poderia ler e imaginar “Se trocar a palavra vedado por permitido, o sentido muda completamente!” Pronto! Você acabou de criar uma possibilidade de questão.

Nós, professores, fazemos muito disso em aula, e mais de uma vez os alunos já vieram questionar se sabíamos o gabarito porque caiu exatamente igual ressaltamos em sala de aula. Isso acontece justamente porque temos este hábito. Experimente fazer isso durante os seus estudos da Constituição que você vai ver a “magia” acontecer.

Essas são apenas duas dicas, mas o principal é, se você quer ser aprovado, fique íntimo da Constituição Federal.

Por Izabela Dornelas, professora de Direito Administrativo e Legislações Especiais na Central de Concursos