Quando começar a estudar para um concurso?

Muitos concurseiros costumam perguntar qual o momento ideal para iniciar os estudos para um concurso. Nesta série de perguntas e respostas, a professora Viviane Rocha, especialista em preparação para concursos públicos, tira as principais dúvidas e dá dicas para ajudar você a garantir a melhor preparação possível. Confira!

1 – Muitas pessoas que prestam concursos somente começam a estudar após a publicação dos editais ou, pelo menos, das autorizações. Porém, em muitos casos, por exemplo, na área fiscal, o tempo entre a autorização (ou o edital) e as provas é curto para estudar tudo que é cobrado. Gostaria que você desse algumas recomendações neste sentido, de que o estudo antecipado, mesmo para concursos ainda não autorizados e até mesmo sem previsão para acontecer, não é perdido e pode servir de diferencial para ser aprovado.

Com certeza o estudo antecipado, independente do concurso, é um grande diferencial. O candidato que planeja a preparação antes da publicação de um edital consegue imprimir um ritmo de estudo muito maior que os que deixam somente para estudar após o edital na praça. Outro ponto que vale muito salientar é que o período entre edital e prova é para revisar o conteúdo antes da prova, repassar os pontos ainda não assimilados ou conteúdos novos que possam aparecer no edital.

2 – Mesmo para concursos com conteúdo programático não tão extenso, o estudo mesmo antes da previsão de haver concurso é aconselhável? Em que sentido?

Nesses concursos o que chama a atenção não é só a extensão do conteúdo programático (como em um concurso da área fiscal), mas o fato de que o grande número de inscritos pode elevar a nota de corte. Apesar de serem concursos que, em alguns casos, exigem somente nível médio, o estudo deve ser aprofundado por conta da necessidade de um maior número de acertos que levem à classificação.

3 – Existem alguns concursos que, mesmo sem estar autorizados, costumam ocorrer dentro de um determinado período de tempo (como TRTs e TREs, que normalmente soltam editais assim que encerrada a validade do anterior), já permitindo que os interessados se programem com bastante antecedência. Fale um pouco sobre isso.

Esse é o tipo de concurso que vale muito a pena investir tempo e estudo. Os planos de carreira são excelentes e as seleções ocorrem em períodos já determinados pelo fim do prazo de validade demarcado em edital.
Uma dica é não deixar para intensificar os estudos somente quando estiver chegando o final do prazo e, sim, estudar como se a prova já fosse ocorrer, isso garante um excelente ritmo. Estude independente de edital e autorização, o tempo vai passar de qualquer jeito e como a concorrência nesses concursos é acirrada (visto a nota de corte dos últimos concursos), o tempo de estudo antecipado será mais uma vez um diferencial.

4 – Em termos de metodologia, como você recomenda que os interessados já comecem a se preparar para os concursos, mesmo com bastante antecedência?

O primeiro passo é eleger um concurso não só pelo salário, mas que gere satisfação na vida profissional e pessoal do candidato. Após isso, o candidato deve relacionar o conteúdo do cargo, munir-se de materiais ou iniciar uma preparação, mas sempre focado no edital e realidade da prova.
Ele pode iniciar os estudos pelas matérias básicas, intercalando o estudo da teoria, resolução de exercícios e, claro, resolvendo provas anteriores, que será um termômetro para dizer se ele está no caminho certo.
Faça um cronograma de estudos e estabeleça metas diárias, semanais e mensais, intercalando o estudo de novos conteúdos e revisão dos já vistos. Nenhum conteúdo deve ser negligenciado, nem mesmo o da área de formação do candidato.
E, por último, dedicar-se todos os dias em busca do sonho de ter estabilidade financeira e profissional, estudando como se a prova já estivesse marcada e fazendo o melhor a cada dia. Isso tudo garantirá que ele não chegue no dia da prova com a sensação de que se tivesse estudado mais, teria se saído melhor.

5 – Você acredita que o conteúdo estudado para um concurso, ainda sem autorização, já pode ser utilizado para alguns concursos que eventualmente podem ir surgindo? Dessa forma, enquanto o candidato vai se preparando para o cargo que quer, pode já ir conseguindo colocações no funcionalismo. Fale sobre isso.

Grande parte dos conteúdos solicitados em um concurso pode e deve ser aproveitado para outras oportunidades que possam surgir no decorrer dos estudos. Fazer outros concursos ajuda na preparação para a “grande prova da sua vida”, mas também pode resolver um problema de desemprego ou necessidade de ter uma alternativa que traga uma certa estabilidade. Essas oportunidades podem ser degraus para o grande sonho.

6 – Para finalizar, tem mais alguma mensagem ou recomendação que gostaria de deixar para quem pretende iniciar os estudos para concursos públicos e ainda não sabem direito como fazer?

O candidato deve buscar informações acerca do cargo, salários, planos de carreira e saber se o cargo lhe trará satisfação na vida pessoal e profissional.
Deve iniciar os estudos antes do edital ou publicação de autorização, isso aumentará as possibilidades de sucesso no certame.
Deve ser organizado com o material e anotações dos conteúdos, tirar dúvidas e, se for o caso, buscar apoio especializado.
Deve resolver muitas questões e provas anteriores.
Deve ser positivo e otimista, acreditando sempre que está no caminho certo.