De açougueiro a servidor do TRE-SP: conheça a história de Silvio Teixeira

O concurso público não é só o meio mais democrático de acesso a cargos públicos. Ele também costuma ser uma forma de ascensão social para muitas pessoas. Este é o caso, por exemplo, de Silvio Teixeira, que durante muitos anos trabalhou com açougueiro e hoje atua na Justiça Federal, após ser aprovado em um concurso para técnico judiciário do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (TRE-SP).

Nascido na cidade de Comercinho, no interior de Minas Gerais, Silvio Teixeira contou, ao programa Central de Entrevistas, que decidiu prestar concurso público após saber por amigos sobre as vantagens de ser um oficial de justiça. Seu foco era ingressar no Tribunal de Justiça-SP, mas a demora na divulgação do edital fez com que ele tentasse outras seleções. 

Após estudar sozinho por uma apostila da Central de Concursos, entre outros materiais, Silvio Teixeira conseguiu obter duas aprovações: para papiloscopista da Polícia Civil-SP e técnico judiciário do TRE-SP, ambas carreiras que exigem o nível médio como escolaridade. 

Por ter tido um melhor desempenho no primeiro certame, foi chamado primeiro para trabalhar na Polícia Civil-SP, onde ficou por mais de três anos. No entanto, para sua surpresa, mais tarde acabou sendo convocado para tomar posse também no TRE-SP. 

“Foi uma surpresa ter sido chamado pelo TRE-SP. Eu até fui bem na prova objetiva, mas acabei indo muito mal na prova prática. Por isso pensei que nem tivesse sido aprovado”, disse Silvio Teixeira, que hoje ocupa o cargo comissionado de assessor jurídico da Presidência. 

Na entrevista que pode ser vista no vídeo abaixo, Silvio Teixeira conta mais detalhes sobre a importância do concurso público para sua ascensão social, detalha como é o trabalho no TRE-SP e fala sobre as atividades desempenhadas por um técnico e analista judiciários. Confira a seguir: