Concurso PRF: especialista dá dicas para a prova e reta final de estudos

As provas do concurso PRF 2021 (Polícia Rodoviária Federal) seguem previstas para o próximo dia 9. Faltando pouquíssimo tempo para a aplicação das avaliações, quais são as melhores estratégias de estudo a serem adotadas nesta reta final? 

O sábado, dia anterior ao exame, por exemplo, deve ser dedicado aos estudos, onde o candidato deve fazer uma revisão final das matérias, ou é melhor ele espairecer a cabeça e procurar realizar uma atividade que lhe dê prazer?

E no dia da prova, deve-se iniciar a avaliação pelas disciplinas com maior facilidade ou por aquelas que se tem mais dificuldade? Qual o tempo máximo que deve ser dedicado a cada questão? Percebe-se que as dúvidas são muitas daqueles que concorrem a uma vaga de policial rodoviário federal. 

Para responder a essas e outras perguntas, a equipe de reportagem da Central de Concursos entrevistou a professora Viviane Rocha, que é especialista em técnicas de estudo. Ela destacou uma série de medidas que os candidatos do concurso PRF devem tomar às vésperas da prova, bem como no dia da avaliação.

Devido ao adiamento das provas (inicialmente, estavam programadas para 28 de março), a professora diz que a maioria dos alunos já contemplou todo o edital ou, ao menos, a maior parte dele. Em função disso, Viviane Rocha afirma que os dias que antecedem a aplicação das avaliações devem ser dedicados para ‘aparar as arestas’.

“Ou seja, o candidato deve focar nos conteúdos que ainda não tem um bom desempenho e/ou que tem alta incidência nas provas do Cebraspe, fazendo uma boa revisão teórica e exercícios para complemento e ajustes, procurando também revisar os erros”, orienta a especialista em técnicas de estudo.

Mas o que fazer no sábado, que antecede a aplicação da prova do concurso PRF? Para Viviane Rocha, o candidato deve buscar o equilíbrio. “Se ele já se sente seguro e preparado, pode revisar alguns pontos e tirar o resto dia para descansar e/ou fazer algo prazeroso com a família. Vale salientar também que os candidatos devem cuidar da alimentação e do sono para que não haja nenhum problema na hora da prova.”

Como estratégia para o dia da prova, a professora indica aos candidatos que iniciem a avaliação resolvendo as questões das disciplinas que possuem mais facilidade. Na sequência, Viviane Rocha diz que eles devem passar para as matérias com mais dificuldade, finalizando com as que têm um nível mediano de conhecimento. 

No entanto, para adotar a melhor estratégia de fazer prova, a professora destacou a importância da resolução de simulados, para se autoconhecer. “Não há uma regra fixa. Uma das dicas que damos de preparação é de fazer simulações de acordo com a realidade da prova, ou seja, incluindo 120 itens e a discursiva. Dessa forma, ele perceberá qual sequência gera mais otimismo e maior rendimento no tempo de prova”, explicou a professora, lembrando ainda que é importante treinar também o tempo de passar a redação a limpo e fazer a marcação do cartão-resposta.

Candidatos devem fazer boa gestão do tempo

Inclusive, a professora Viviane Rocha aponta que uma das maiores falhas que os candidatos cometem no dia da prova é não saber fazer uma boa gestão do tempo. “A maioria vai para prova sem saber quanto tempo leva pra passar um gabarito, não tem estratégia para a resolução das questões, não treina passagem a limpo da redação, não gosta de ler, se perde na parte de Língua portuguesa e por aí vai.”

A professora lembra que os candidatos do concurso PRF terão, em média, um minuto e meio para resolver cada uma das questões. E para conseguir fazer uma boa gestão do tempo e obter um bom rendimento nas provas, Viviane Rocha volta a falar da importância de se treinar por meio de simulados.

“Na dinâmica de estudos, o candidato acaba percebendo quais temas/disciplinas exigem mais ou menos tempo, que tipo de tema de redação é mais dificultoso, quanto tempo se leva para passagem do gabarito. Sendo assim, para resolver essas e outras questões, o candidato deve treinar cronometrando o tempo, fazendo alguns simulados. Assim ele ganhará confiança.”

A especialista em técnicas de estudo da Central de Concursos afirma também que outra falha recorrente dos candidatos é a falta de organização. Segundo ela, muitos deixam para conhecer o local de prova só no dia da aplicação e não têm clareza sobre os documentos que precisam levar. “Isso sem falar nos que esquecem dinheiro, caneta, máscara e álcool em gel.”

Tendo em vista que nos concursos realizados pelo Cebraspe o candidato é penalizado caso opte por um comando que esteja em desacordo com o gabarito oficial, muitos candidatos têm dúvidas se devem deixar em branco determina questão que não sabem ou se vale a pena tentar o ‘chute consciente’.

Para Viviane Rocha, a melhor opção é deixar a questão em branco, caso o candidato não saiba a resposta, pois assim não perderá ponto. “Não acredito em chute consciente. Eu acredito em estudo e assimilação de conteúdo. Conforme os candidatos vão estudando eles vão ganhando conhecimento e é esse conhecimento que dará base para fazer associações com temas que ainda não possuem domínio”, finalizou.

Veja a seguir quadro com dicas e recomendações da professora Viviane Rocha para os candidatos do concurso da PRF:

* Aproveite os dias que antecedem a prova para revisar os temas que tem maior dificuldade e que tem maior incidência.

* Faça muitos exercícios e simulados de acordo com as características da prova. 

* Treine confecções de redação e comemore com otimismo as conquistas.

* Atente-se ao horário e local da sua prova.

* Leve canetas esferográficas de tinta preta, fabricada em material transparente. 

* Leve máscaras e álcool em gel de acordo com as regras da organizadora.

* Descanse o suficiente para não ter sono na hora da prova.

* Alimente-se de forma leve antes do horário da prova.

* Conheça o local de prova com antecedência.

* Dedique tempo suficiente para passar a limpo a redação e fazer as marcações no cartão-resposta.