Concurso PM SP: veja dicas de História e Geografia com o professor Marco Antonio Oliveira

As disciplinas de História e Geografia compõem a maior parte do conteúdo de Conhecimentos Gerais (que abrange também Atualidades) da prova do concurso PM SP, cujo edital para 2.700 vagas de soldado está previsto para sair ainda neste primeiro semestre. Para orientar o estudo dos candidatos nestas duas matérias e apontar os assuntos com mais chances de cair na prova, a reportagem da CENTRAL DE CONCURSOS entrevistou o professor Marco Antonio Oliveira.

Segundo ele, a melhor forma de estudar as duas disciplinas é fazendo muitas questões de provas anteriores da Polícia Militar de São Paulo e contar com a ajuda de profissionais especializados. “Fazer um curso preparatório é muito importante, pois os professores vão encurtar o caminho dos candidatos, fazendo com que não percam tempo com assuntos que não serão cobrados na prova”, diz.

Ele também afirma que o estudo não pode estar limitado apenas à sala de aula. “É indispensável também que o candidato estude em casa. Não adianta apenas assistir às aulas no curso. Aqui na CENTRAL DE CONCURSOS temos um grande índice de aprovação porque sempre orientamos e ensinamos os nossos alunos a estudarem em casa”, garante.

Marco Oliveira destaca que a Fundação Vunesp, provável organizadora do concurso PM SP para soldado, costuma elaborar provas com questões muito bem elaboradas, seja em História como em Geografia. 

Em relação à primeira disciplina, o professor afirma que a banca tem o costume de elaborar textos de oito a 12 linhas, onde o candidato precisar lê-los e contextualizar os fatos para poder responder às perguntas. Já no que tange à matéria de Geografia, a prova sempre traz elementos visuais, tais como mapas, climogramas e diagramas.

“A prova de História elabora pela Vunesp requer que o candidato esteja mesmo muito bem preparado e conheça os fatos relevantes da História Geral e da História do Brasil. Já em relação à disciplina de Geografia, a banca gosta que o concorrente conheça o mapa do Brasil, as características de suas regiões. São questões muito ricas. Elas sempre têm um texto, um mapa, um diagrama, um climograma ou quadro temático.”

O professor lembra que, no último concurso, das 15 questões de Conhecimentos Gerais, seis foram de Geografia (duas de Geografia Geral e quatro de Geografia do Brasil) e seis de História (duas de História Geral e quatro de História do Brasil).

Especificamente em relação à disciplina de Geografia, Marco Oliveira explica que a Vunesp costuma se restringir, no que tange à Geografia Geral, a temas sobre o Meio Ambiente, tais como chuva ácida, aquecimento global, inversão térmica e ilhas de calor.

“Já em relação ao tema Geografia do Brasil, a banca é mais ampla. Os candidatos precisam estudar assuntos clássicos, tais como clima, vegetação, hidrografia, população, migrações, taxa de natalidade e mortalidade, além de alteração da estrutura etária da população brasileira. Na última prova, por exemplo, tivemos também questões sobre o solo e decomposição”, elenca.

O professor da CENTRAL DE CONCURSOS também citou quais são os assuntos que a Fundaçãp Vunesp costuma explorar com mais intensidade em História do Brasil e História Geral. “Em História do Brasil, sempre cai a Era Vargas. É preciso saber quais são as grandes realizações do ‘Varguismo’, que são a CLT, a Petrobrás, a CSN e Fabrica Nacional de Motores. A banca também costuma cobrar regime militar e, de forma secundária, o governo Jucelino Kubitschek.”

Já em relação aos temas de História Geral, o foco principal, segundo o professor Marco Oliveira, é a Segunda Guerra Mundial. “A Vunesp sempre cobra a Segunda Guerra e os temas ligados a ela, como fascismo, nazismo, comunismo, conflito entre as potências e o antissemitismo. A Guerra Fria, que foi conflito ideológico-político-econômico que aconteceu entre EUA e URSS, de 1947 a 1991, também cai em toda prova. Não deixem de estudar também a Guerra Civil Espanhola, que ocorreu no período de 1936 a 1939 e que antecede a Segunda Guerra”, finaliza.