Concurso PM SP: professora Tatiane Felix orienta estudo em Língua Portuguesa

Língua Portuguesa é a disciplina que, via de regra, tem o maior número de questões na prova do concurso PM SP (no último certame foram 20). Em função disso, a recomendação da professora Tatiane Félix é para que os futuros candidatos dediquem uma maior parte do tempo a essa matéria na elaboração de um plano de estudos semanal.

Ela, inclusive, destaca que para se obter um bom desempenho na parte de Língua Portuguesa, o futuro candidato do concurso da Polícia Militar do Estado de São Paulo deve seguir o seguinte roteiro: assistir aulas, fazer resumos e resolver questões de provas anteriores. A professora garante que o estudo é bem mais produtivo e aprende-se mais quando se pratica os conhecimentos de maneira focada.

“É importante que haja uma dedicação maior à matéria, principalmente em relação à resolução de questões. No entanto, vale ressaltar que estudar Língua Portuguesa não é apenas estar sentado diante de uma gramática ou apostila. Estuda-se enquanto se lê outra matéria ou se escreve uma mensagem, por exemplo. É essencial ao candidato estar atento o tempo todo”, alerta.

LEIA TAMBÉM:
Podcast Central do Concurseiro: como fugir das pegadinhas nas provas de Português

No que tange ao perfil da prova de Língua Portuguesa da Vunesp, provável organizadora do concurso PM SP, Tatiane Félix afirma que a banca costuma elaborar avaliações bem equilibradas, no que tange a conteúdos textuais e gramaticais, com questões bem objetivas e que expõem no enunciado exatamente o que quer que seja analisado.

“A Vunesp é bem equilibrada. Há as perguntas de entendimento textual e as gramaticais, que também são voltadas a trechos do texto. O candidato pode esperar questões que exigem leitura completa e atenta do texto, bem como as que pedirão conhecimento de regras do padrão do idioma.”

A professora da CENTRAL DE CONCURSOS informa que a Vunesp normalmente trabalha com textos que trazem temas da atualidade, tais como política, questões sociais e de conhecimentos gerais.

“Independentemente do assunto do texto, a banca costuma perguntar ao candidato se a opinião do autor foi compreendida, quais são os argumentos que fundamentam a tese e como eles foram estruturados a partir dos elementos gramaticais como as conjunções, os pronomes e o significado das palavras”, detalha.

Já na parte de gramática, a professora aponta que, tradicionalmente, a Vunesp cobra a análise do uso das classes gramaticais, o emprego dos pronomes e das formas verbais, concordância, regência e crase. “Sem saber esses assuntos é impossível fazer uma boa prova”, afirma.

Por fim, a professora deixa uma mensagem final para os futuros candidatos do concurso PM SP.

“Candidatos, vivenciem o concurso público, não estudem apenas durante a aula. Língua Portuguesa é o idioma com que nos comunicamos, então, pode-se aprender o tempo todo. Estejam atentos ao que leem e ouvem no dia a dia para estabelecer relações com as regras aprendidas. Organizem um cronograma para revisar e treinar obrigatoriamente as classes gramaticais, as formas verbais, a concordância e a regência. Os que dominam esses assuntos fazem a prova tranquilamente. Para terem um excelente resultado, lembrem-se: conhecimento e objetividade são essenciais.”