Concurso PC-SP: saiba o bê-á-bá da preparação para a prova de Português, com a Profa. Tatiane Felix

A Polícia Civil de São Paulo realizará um novo concurso público, com 2.939 vagas abrangendo os cargos de escrivão, investigador, médico legista e delegado. Em meados do mês de dezembro, foi oficializada a contratação da Fundação Vunesp como organizadora da seleção. Com isso o edital poderá ser publicado quanto menos se imagina. Pelo menos, no momento em que esta matéria está sendo escrita, ele não saiu.

Com edital ou sem edital, o foco e a preparação devem se manter constante, cumprindo com disciplina o horário determinado para os estudos e obtendo uma boa eficiência de aprendizado medida através dos exercícios de fixação e simulados em todas as disciplinas, especialmente em Língua Portuguesa que, nos últimos concursos, abrigava a maior quantidade de questões nas provas para investigador e escrivão.

Afinal, como conseguir aprender os conteúdos de Língua Portuguesa, sendo que o edital sequer foi publicado?

A professora Tatiane Felix, que leciona essa disciplina nos cursos preparatórios da Central Concursos recomenda que o último edital para esses dois cargos de nível superior, publicado em 2018, pode ser utilizado como referência para quem planeja participar do concurso que está para se abrir, já que a organização também ficou a cargo da Fundação Vunesp.

“Dificilmente ela (Vunesp) fará mudanças radicais no edital, por isso, o candidato deve se basear no anterior para já adiantar os estudos”.

Dessa forma, a Vunesp poderá fazer uma espécie de “Copia e Cola” do conteúdo programático de Português presente no edital de 2018, o que acaba sendo benéfico para quem está se preparando desde os primeiros anúncios feitos pela Polícia Civil e pelo Governo do Estado. Ela acredita ainda que deve se repetir a quantidade de questões das últimas de português para investigador e escrivão, quando cobrou-se a partir de 30 questões.   

Vale ressaltar que o candidato pode se utilizar de outras ferramentas de estudo para assimilar os conteúdos presentes no edital. Como estamos falando de Língua Portuguesa é obrigatório que você tenha o hábito de leitura para conseguir interpretar as questões da prova. A professora Tatiane avalia que a leitura sobre “qualquer tipo de escrita com um olhar técnico – grifando palavras desconhecidas, percebendo as relações entre as orações, os verbos, os pronomes -, por exemplo, é um bom exercício de treino” para os exames que devem acontecerno primeiro trimestre de 2022.

Quais assuntos priorizar?

Ao analisar o último edital, a professora Tatiane Félix lista os assuntos mais propícios a aparecer nas questões das próximas provas:

Conteúdos gramaticais como identificação de classes de palavras, concordância, regência e análise dos termos sintáticos da oração são sempre cobrados. É quase impossível ter um bom resultado sem saber tais tópicos, contudo, o problema maior de grande parte dos candidatos é a interpretação de texto”.

E a própria interpretação textual tende a ser uma “pedra no sapato” dos concurseiros que se depara com uma questão desse nível, pois muitos candidatos, segundo Felix, costumam extrapolar a questão, ou seja, acaba tendo uma compreensão muito além do que está no texto e acabam perdendo a questão. Para que isso não aconteça, o candidato à Polícia Civil paulista deve ler atentamente o enunciado para, depois, retirar dados contidos do texto, grifar as informações mais importantes e responder somente o que foi perguntado pela banca.

Prepare-se com base no perfil de provas da banca

Outro ponto importantíssimo para a preparação em um concurso público, seja para a prova de Português ou de qualquer outra disciplina é conhecer bem quem irá elaborar a prova, ou seja, saber todas as características inerentes aos exames produzidos por uma determinada empresa. No caso do Concurso PC-SP, conforme dito no início da matéria, é a Fundação Vunesp que ditará as regras do jogo.

Tatiane Felix afirma que a prova de Português dessa organizadora costuma cobrar os conhecimentos gramaticais de um candidato utilizando-se da estrutura textual. Isso significa que os textos que permeiam o caderno de provas não servem apenas para pura e simples interpretação. Dentro deles poderá se extrair alguma pergunta sobre verbos, sobre sujeito e predicado, sobre uso da pontuação, entre outros temas:

“Exatamente porque a prova exige uma contextualização, o estudo não deve ser baseado em decorar regras, o que aumenta o grau de dificuldade da parte de Língua Portuguesa. O lado bom é que a banca tem a característica de ser extremamente clara em seus questionamentos, por isso é essencial que o candidato faça uma análise dos enunciados para otimizar o tempo e responder de forma objetiva”, acrescenta a professora Tatiane.

Dessa forma, vale a pena você buscar as provas de outros concursos administrados pela Fundação Vunesp para se ambientar com o formato de exames aplicados pela empresa. Basta acessar o site da Vunesp.

O edital saiu. O que fazer?

Vamos imaginar que você está lendo esta matéria quando o edital da Polícia Civil para investigador, escrivão e demais cargos já foi publicado. A orientação dada pela nossa especialista é de que apreparação deverá se voltar para o conhecimento das regras gramaticais de maneira contextualizada, pois conforme dito antes, a Vunesp não quer que você decore as regras e, sim, que as aplique dentro da mensagem de um determinado texto.

Além disso, selecione os conteúdos mencionados pela professora como os mais propensos a cair nas provas e procure esgotá-los, fazendo revisões constantes e exercícios. Mas não deixe de ler e se aprofundar os outros conteúdos do edital, pois eles podem ser cobrados também pela Vunesp.  

Como não perder o foco dos estudos durante período de festas e de férias?

Lembra que no início da matéria falamos que é preciso manter o ritmo de estudos constante, para ter uma boa eficiência nos exercícios de fixação e simulados preparatórios? Isso vale também mesmo em períodos do ano em que a mentalidade das pessoas não está voltada para os estudos, como durante as Festas de Final de Ano, no Verão (quando o clima convida para um passeio no parque e um mergulho no mar) até o Carnaval.

Não seja como muitos brasileiros que pensam que o ano só começa depois da Folia. É importante se dedicar todos os dias em busca do seu principal sonho. E até nesses momentos de aparente desligamento do cérebro, pode se tirar algum aprendizado:

Ao olhar a rede social, por exemplo, é possível observar a forma como as pessoas escrevem, analisar ortografia, o uso dos verbos. Se for escrever uma mensagem de Natal, pode fazer isso mais atentamente, percebendo como expressar as ideias de maneira clara e objetiva. O bom estudante vive o concurso público, está sempre ligado. Tudo é motivo para pensar em linguagem, porque em tudo está a gramática, afirma a professora Tatiane Felix.

Para concluir essa espécie de cartilha para as provas de Língua Portuguesa da Polícia Civil de São Paulo, a professora Tatiane enfatiza que a preparação que resulta em aprovação deve fluir da seguinte forma:  

Relembrar/aprender a matéria de maneira contextualizada (não apenas decorar) Fazer resumos Resolver questões de prova. Se você dispor de recursos financeiros, procure investir também em cursinhos preparatórios, como a própria Central de Concursos, onde você terá a oportunidade de estar em sala de aula com professores que irão ministrar os conteúdos com base no que, de fato, será cobrado pela banca.