Concurso INSS: veja 7 motivos para concorrer a uma vaga

Interessados em participar do concurso para mil vagas de técnico do seguro social devem iniciar imediatamente os estudos, pois a concorrência promete ser grande. Na última seleção, realizada em 2015, houve mais de um milhão de inscritos em todo o país

O Ministério da Economia já autorizou a abertura do concurso INSS. Inicialmente, o edital vai trazer oferta de mil vagas na carreira de técnico do seguro social, que exige apenas o nível médio.

Nos próximos dias, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai dar a largada no processo para a definição da organizadora. Assim que ela for escolhida, o cronograma será elaborado e, na sequência, o edital será divulgado.

Os interessados em conquistar uma vaga de técnico do seguro social não podem perder tempo e devem iniciar imediatamente os estudos. O diretor pedagógico da CENTRAL DE CONCURSOS, Marcos Brito, aponta que concurso INSS deverá atrair um grande número de candidatos, assim como o anterior, realizado em 2015, quando mais de um milhão de pessoas se inscreveram para concorrer a um total de 950 vagas, sendo 800 de técnico e 150 de analista.

Segundo Marcos Brito, o maior erro que um concorrente pode cometer é esperar o edital sair para começar a preparação. “Quando o edital sair haverá somente quatro meses até a aplicação da prova. Quem começar a estudar desde já terá cerca de seis meses de preparação, que é o período que considero ideal para conseguir estudar todo o conteúdo programático e, ao mesmo tempo, fazer as revisões necessárias. Quando mais cedo o candidato iniciar a preparação, maiores serão as chances de se conquistar uma das vagas oferecidas pelo INSS”, alerta.

Se você ainda tem dúvidas se vai ou não participar do concurso INSS, o diretor pedagógico da CENTRAL DE CONCURSOS preparou uma lista com 7 motivos para você se inscrever nesta seleção.

Confira a seguir:

1 – Estabilidade

Em um Brasil onde a crise financeira atinge a todos e a taxa de desemprego é muito grande, não há nada mais importante do que ter um trabalho com estabilidade e saber que, ao final do mês, você receberá direitinho o seu ordenado na conta bancária, não é mesmo?

E isso acontecerá exatamente com aqueles que forem classificados no concurso para técnico do seguro social. Isso porque no INSS as contratações ocorrem por meio do regime estatutário, que assegura estabilidade no emprego após três anos de estágio probatório.

2 – Remuneração atrativa e benefícios

Atualmente, a remuneração de um técnico do seguro social é de R$5.186,79, já incluído R$458 de auxílio-alimentação. Os servidores do INSS ainda têm direito a auxílio-saúde, auxílio-creche e gratificação natalina.

3 – Ampla oferta de vagas

O concurso INSS será para o preenchimento de mil vagas, o que é uma oferta bastante atrativa, ainda mais se tratando de um cargo que exige apenas o nível médio. Esse quantitativo, por exemplo, é um pouco superior ao que foi oferecido na última seleção, realizada em 2015. Na época, foram abertas 950 vagas, sendo 800 para técnico do seguro social e 150 para analista do seguro social.

Comparado ao último concurso INSS, desta vez houve um aumento de 25% das vagas autorizadas para a carreira de técnico do seguro social. Trata-se de um baita incremento, não é mesmo?

4 – Possibilidade de muitas contratações

Embora o Ministério da Economia tenha autorizado a abertura de mil vagas para a carreira de técnico do seguro social, são grandes as chances de, ao menos, 1.250 aprovados serem convocados durante o prazo de validade do concurso INSS.

Isso porque o Decreto 9.739/19, que regulamenta os certames públicos federais, permite que os órgãos possam solicitar ao Ministério da Economia, ao finalizar o concurso, mais 25% das vagas já previamente autorizadas. Se isso acontecer, 1.250 aprovados serão contratos pelo INSS.

É praticamente certo que o INSS fará essa solicitação ao Ministério da Economia ao concluir o concurso. E as chances de a autorização ser concedida pelo Ministério da Economia são enormes, dado o grande déficit de pessoal nas agências da Previdência Social e o elevado quantitativo de servidores com idade para se aposentar.

Sabe-se que, atualmente, o INSS possui uma carência de mais de 23 mil servidores, sendo quase 21 mil somente na carreira de técnico do seguro social. Para piorar a situação, há cerca de 3 mil servidores recebendo abono de permanência, o que significa que eles podem se aposentar a qualquer momento.

Em função do enorme déficit de pessoal e das aposentadorias previstas, é possível até mesmo que o INSS consiga chamar mais do que 1.250 aprovados. No entanto, nesse caso, será preciso que seja editada uma autorização (decreto) presidencial, que certamente só aconteceria em 2023, quando o país poderá ter um novo presidente ou a reeleição de Jair Bolsonaro.

5 – Progressão anual e possibilidade de crescimento profissional

Os servidores do INSS contam com progressões todos os anos e, como consequência, elas acabam acarretando incrementos salariais. Além disso, muitos postos de chefia no INSS são ocupados por servidores concursados, o que demonstra que a autarquia desenvolve uma política de meritocracia.

6 – Plano de cargos

O plano de carreiras do técnico do seguro social é atrativo. Ele é composto por quatro classes (A, B, C e Especial), sendo que a primeira possui cinco níveis, já as outras três, apenas quatro. Hoje, um técnico em final de carreira recebe R$9.557,90, incluindo também R$458 de auxílio-alimentação.

7 – Capilaridade de agências

O INSS possui mais de 1.500 pontos de atendimento, distribuídos por todo o país. Sendo assim, é possível concorrer a uma vaga no próprio estado onde o candidato reside. No entanto, caso seja de interesse dele, é a chance de prestar concurso para mudar de estado ou cidade. Futuramente, também caso seja interesse do servidor, é possível pedir remoção para outra localidade.