5 dicas para mandar bem na redação

Especialista em preparação para concursos públicos dá cinco dicas simples para escrever uma boa redação

As provas discursivas estão presentes em boa parte dos concursos públicos. Assim, saber escrever um bom texto é essencial para conquistar a tão sonhada aprovação.

E apesar de não ser fácil, algumas dicas simples podem ajudar a organizar as ideias e resultar em uma redação agradável de se ler e que atenda aos requisitos exigidos pelos examinadores.

Confira, a seguir, cinco dicas da especialista em preparação para concursos, Simone Cerullio, professora de Língua Portuguesa e Técnicas de Redação na Central de Concursos: 

1. Preparação

Para fazer uma boa redação você precisa estar ligado nos temas atuais. Leia jornais e revistas de confiança.

2. Pratique

Reserve uma ou duas horas por semana para escrever. Escolha temas do seu cotidiano. Imagine que o cobrador de ônibus reclamou sobre as dificuldades de pagar as contas. Você já encontrou um tema: a crise financeira e o endividamento dos brasileiros.

3. Na prova

Leia com atenção o tema proposto e repasse tudo o que que já ouviu sobre o assunto. Escreva as palavras-chave que não podem ficar fora do texto e faça um roteiro antes de começar a escrever. Tenha em mente a mensagem principal que você quer passar (ex.: está cada vez mais difícil e a tendência é piorar).

Feito isso, organize suas ideias dentro de três aspectos: A. Começo (introdução) / B. Meio (desenvolvimento) / C. Fim (conclusão).

4. Dicas técnicas

  • • No texto, use frases curtas;
  • • Escreva os números até dez por extenso;
  • • Use a norma culta da língua portuguesa. Nada de gírias, estrangeirismos, coloquialismo e pleonasmo.
  • • Repetir muitas vezes as mesmas palavras empobrece o texto. Lance mão de sinônimos e expressões que representem a ideia em questão;
  • • Se estiver em dúvida sobre algum dado, arredonde ou aproxime: “mais de 50 milhões endividados”.
  • • Não use ‘etc.’ e jamais abrevie palavras;
  • • Não utilize verbos no gerúndio;
  • • Evite o ‘Queísmo’ (o uso reiterado do “que” pode constituir erro de estilo);
  • • Colocação pronominal: respeite e jamais inicie a oração com próclise.
  • • Procure escrever as sentenças na forma positiva, evitando usar o “não”: diga o que é, não o que não é. Exemplo: troque “Ele não acredita que o ministro chegue a tempo” por “Ele duvida que o ministro chegue a tempo”.

5. Revisão

Reserve um tempo para reler todo o texto antes de passar a limpo. Releia o texto com atenção, observando a coerência, a fluência da linguagem e a adequação do vocabulário.

Siga as dicas e jamais se esqueça de que o melhor meio de se criar ideias é pelo hábito da leitura.